25 de outubro de 2014

Beglückt darf nun dich, o Heimat, ich schauen




Com alegria te encontro de novo pátria minha, com júbilo saúdo os prados verdejantes. São os peregrinos, Elisabeth, regressados de Roma, tu que aguardas Tannhäuser na companhia de Wolfram que renunciou ao seu amor por ti. Só tu, Elisabeth, serias capaz de oferecer o teu corpo às espadas desembainhadas por aqueles homens de rostos enrustidos quando este defendeu a sua paixão carnal por Vénus.

Só tu, Elisabeth, irias morrer de desgosto rogando a salvação para o putanheiro do Tannhäuser.

(Rosas florescem finalmente no cajado papal)

Mas também tu Tannhäuser irás chorar sobre o corpo daquela mulher que sonhaste amar. É sempre tarde.


Onde termina o dia?