14 de junho de 2007

Antes de adormecer III


Talvez ainda possa ser feliz, mesmo sem ti. Assim como vês, com os prelúdios do Rachmaninov, uma garrafa de vodka e com os olhos a demorarem-se num quadro do Kandinsky que a parede ainda teima em aguentar no seu sítio prometido. Não, não são lágrimas que perlam o meu rosto. É o álcool que dita tudo. E os dedos do Vladimir Ashkenazy.